Superliga Cimed 2018-2019
Você está em: Home > Notícias > Entrevista da Semana

Líder e entusiasta, Donega mantém Blumenau na liderança da Superliga B


Publicado em: 27/02/2019 14:15
André Donega, treinador do Apan/Blumaneu (Créditos: Bruna Evelin)

Santa Catarina é um dos estados brasileiros com grande tradição no voleibol. Na história da Superliga, alguns clubes catarinenses marcaram a história como os campeões Unisul (2003/2004) e Cimed (2005/2006, 2007/2008, 2008/2009 e 2009/2010). Em Blumenau, a tradição se renova a cada ano com a presença da Apan/Blumenau na Superliga B.

O time catarinense conta com sete participações na competição nacional, e que segue para a quinta temporada na divisão de acesso do voleibol brasileiro. Em comum em todas estas temporadas está a presença de André Donega na comissão técnica.

Em 2019, o técnico segue no comando do time que é o líder da Superliga B desde a primeira rodada. Atento ao trabalho desenvolvido na Superliga B, o time da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) buscou saber um pouco mais sobre a história deste projeto longevo no voleibol catarinense.

Como começou o projeto em Blumenau? Há quanto tempo existe?

A Associação Professor Artur Novaes (APAN) recebeu este nome em homenagem póstuma a um dos maiores incentivadores do esporte em Blumenau (SC). Ele é considerado o precursor do voleibol na cidade. O projeto existe desde 1984 e hoje busca o retorno à elite do voleibol nacional. Queremos colocar Santa Catarina novamente entre os principais destaques da modalidade.

A sua participação vem desde quando? E qual é o seu papel hoje na Apan, além, é claro, de ser o técnico do clube?

Eu fui atleta do professor Artur até a categoria infanto. Comecei a trabalhar com voleibol ao lado do João Crisóstemo, no feminino. Em 1994 migrei para o naipe masculino, para trabalhar com as categorias mirim e infantil. Em 1998 me torneio assistente técnico do adulto. E sou o treinador principal desde 2004, mas ainda coordeno os trabalhos da base.

Este ano a equipe lidera o campeonato desde a primeira rodada. E, pelo que diversos técnicos e atletas comentam, esta é a edição mais equilibrada da Superliga B. O que o time da Apan tem, na sua visão, que tem dado tão certo nesta temporada?

Em primeiro lugar, muito trabalho. Nossa dedicação é total. Outro fator importante para estes resultados tão positivos é o entrosamento da equipe. Nosso elenco tem jogadores há mais de três anos jogando juntos. A permanência de uma base de atletas nos dá esta consistência dentro de quadra.

Outro fator importante é a presença de público. Todas as partidas em Blumenau têm uma presença considerável de torcedores. Isso também conta na boa campanha, não é?

Sim, a torcida de Blumenau e de toda região é apaixonada por esportes. Estão sempre presentes nos apoiando. Costumo dizer que eles são o nosso sétimo jogador.

Em caso de classificação para a divisão principal o que pode ser projetado para a Apan?

O nosso projeto sempre teve como objetivo revelar talentos. Neste novo ciclo acreditamos estar preparados para montar um time de potencial e representar muito bem o nosso estado e a nossa cidade. Também temos como meta a longo prazo nos tornar uma equipe em condições de buscar títulos nacionais.