Próxima edição tem tabela e regulamento definidos

Publicado em: 23/08/2017 16:57
Representantes dos 12 times da Superliga masculina em reunião com dirigentes da CBV (Créditos: Roberto Casimiro - Fotoarena)

No dia seguinte em que foi divulgada a tabela da Superliga feminina de vôlei 2017/2018, os dirigentes da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), Renato D´Ávila e Cilda D´Angelis, se reuniram com os representantes dos 12 clubes participantes da próxima edição da Superliga masculina novamente no Sesi-SP da Vila Leopoldina, em São Paulo (SP), para os ajustes da tabela e regulamento da competição. A Superliga masculina terá início no dia 14 de outubro e alguns ajustes poderão acontecer para viabilizar as transmissões das televisões.

Estiveram presentes representantes dos 12 clubes que estarão na próxima Superliga: Sada Cruzeiro (MG), EMS Taubaté Funvic (SP), Sesi-SP, Minas Tênis Clube (MG), JF Vôlei (MG), Caramuru/Castro (PR), Montes Claros Vôlei (MG), Vôlei Renata (SP), Vôlei Canoas (RS), Copel Telecom Maringá (PR), e os estreantes na competição Sesc-RS e Corinthians-Guarulhos (SP).

Três treinadores também estiveram presentes na reunião: Marcelo Mendez, do Sada Cruzeiro, Rubinho, do Sesi-SP, e Fábio Sampaio, do Caramuru/Castro. Alguns jogos chamam atenção logo na primeira rodada do campeonato. O confronto entre os times que contam com parceria do futebol, Sada Cruzeiro x Corinthians-Guarulhos, promete começar agitando a Superliga masculina.

Atual campeão da Superliga, Marcelo Mendez aposta em uma competição equilibrada e valoriza a chegada de mais um time com parceria com clube de futebol. “Acho que a chegada do Corinthians-Guarulhos vai ser muito importante, primeiro porque são dois times de futebol, times importantíssimos e uma rivalidade que agora chega ao voleibol também. Uma rivalidade boa, que vai acrescentar muito para o público, para quem vai ver o jogo”, disse Mendez.

O treinador do Sada Cruzeiro ainda complementou sobre a meta do seu time nesta edição da Superliga. “O objetivo é sempre o melhor, os 100%. Sabemos que o nível da competição melhorou ainda mais este ano, com grandes equipes, o Taubaté se reforçou, o Sesi-SP, o Sesc-RJ, Vôlei Renata, de Campinas, são todas equipes muito fortes e o nível é mesmo alto”, opinou Marcelo Mendez.

Gerente do Corinthians-Guarulhos, o ex-jogador Joel Monteiro, também destacou os pontos positivos da chegada deste time ao campeonato. “É muito importante para o voleibol estar trazendo esse público diferente, um público grande e apaixonado, pois o corintiano é muito apaixonado. O voleibol ganha outro tipo e tamanho de público. Sentimos isso em jogos que já fizemos em Guarulhos”, contou Joel.

O Superintendente de vôlei de quadra da CBV, Renato D´Ávila, comentou a novidade de uma final decidida em dois jogos. “É uma reivindicação antiga dos clubes essa questão de ter mais possibilidades dentro do playoff para decidir o campeonato em mais jogos. Nós passamos nove temporadas com a decisão em jogo único, essa reivindicação voltou agora e nós conseguimos junto com as emissoras de transmissão, os patrocinadores, chegar a um consenso de um formato que já é utilizado em outros lugares, que é a final em dois jogos tendo o desempate no golden set, ou como também é conhecido, no set extra”, esclareceu o dirigente da CBV.

A partir do playoff as séries serão em melhor de três jogos nas quartas de final e de cinco na semifinal. Já a grande decisão acontecerá em duas partidas, uma na casa de cada equipe, e golden set, caso haja uma vitória para cada lado. O formato é o mesmo que será realizado na Superliga feminina.

TABELA

http://superliga.cbv.com.br/arquivos/tabela_superliga_masculina_17-18.pdf

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro